Início » Posts do antigo blog » Matérias Jornalísticas

Categoria: Matérias Jornalísticas

Reportagens e matérias publicadas em jornais e outros veículos variados.

20160826_083116

Associação Amigos de Águas Claras: enfrentando a realidade (jornal Correio Rural)

Matéria publicada pelo jornal Correio Rural, edição 5298, Ano 104 (26 de Agosto de 2016).

20160826_083116 20160826_083103 

 


20160823_180140

A Associação Amigos de Águas Claras luta pela retomada do equilíbrio financeiro e do interesse da própria comunidade.

A entidade, que nos anos 90 chegou a ter centenas de sócios, foi o canal pelo qual a região passou a ter acesso rede telefônica (da antiga CRT), aos Correios, e outras melhorias. Também servia como “voz” de diálogo semioficial com a Prefeitura de Viamão.

Nos últimos anos, com a quebradeira do serviço de intermediação de plano de saúde, e o abandono do espaço pela população, planejou-se até mesmo vender o prédio e encerrar a entidade. Isso não aconteceu, mas o número de sócios atualmente não fecha uma centena.


A SITUAÇÃO FINANCEIRA

O atual presidente, Gilberto “Beto Bike” Maia, diz ter assumido uma Associação com aproximadamente 30 mil reais em dívidas com bancos, e mais de 300 mil em débitos com a Unimed. “O plano é criar novas entradas de arrecadação, e pagar a dívida com o banco. A do plano de saúde, não acredito que possamos um dia pagar. Atualmente, estamos empurrando tudo isso com a barriga e buscando soluções”, diz ele.

20160823_183617


ATIVIDADES

Uma das primeiras medidas foi abrir o espaço para usos diversos. “Temos reuniões de grupos de apoio, de diabéticos, combate às drogas, além de aulas de yoga, capoeira, e estamos fechando outras parcerias.”

Nada disso, porém, traz aportes financeiros para a entidade. A intenção é atrair as pessoas de volta. “Uma comunidade precisa ter sua associação, porque sem ela, não se tem nada. Mas as pessoas ainda não estão ligadas nisso”, filosofa.


INVESTIMENTOS

Beto aposta em um esquema comercial para recuperar o caixa: “Nós vamos receber agora um valor, dez, quinze mil reais, da AMAVI (a associação das mineradoras de areia), e a primeira coisa que vou fazer é colocar uma grama sintética aqui na quadra. De dia, as portas ficarão abertas para as atividades da comunidade e, à noite, vai funcionar como uma quadra de futsal paga.”

Outra fonte possível de rendimentos são os painéis de apoiadores – as propagandas, pintadas nas velhas paredes, são todas ainda acompanhadas de números de telefone começando em “4”. Algumas empresas anunciadas fecharam na década passada. “Mas é difícil arrumar patrocinadores aqui na região, ainda mais em uma época complicada como a atual”, diz o presidente.